Menu / Sade

DIA MUNDIAL DA ASMA


Meta da OMS reduzir em 50%, at 2015, as internaes causadas pela doena que afeta cerca de 5% dos brasileiros

Meta da OMS é reduzir em 50%, até 2015, as internações causadas pela doença que afeta cerca de 5% dos brasileiros

Rio - Reduzir em 50% o número de internações por asma em todo o mundo nos próximos 5 anos. Essa é a meta que a Organização Mundial de Saúde (OMS) lança amanhã, Dia Mundial da Asma. Cerca de 5% dos brasileiros sofrem do problema, segundo o IBGE. Chiado, dor no peito, falta de ar, tosse e dificuldade para respirar são os sintomas. Não são só os adultos que sofrem com o transtorno. Segundo a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, de cada dez crianças, duas têm o problema.

Foto: Uanderson Fernandes /   Agência O Dia
Bruno, de 7 anos, controla a doença com vários medicamentos e consegue ter uma boa qualidade de vida | Foto: Uanderson Fernandes / Agência O Dia

“As crianças sofrem mais com nariz entupido, sintomas de gripe e resfriado e chiado no peito. O médico deve avaliar os sintomas e o histórico familiar para fazer o diagnóstico e começar o tratamento”, explica o chefe do Serviço de Alergia do Instituto de Pediatria da UFRJ, Evandro Prado.

Bernardo Kiertsman, membro do Departamento de Pneumologia Pediátrica da Sociedade Brasileira de Pediatria, ressalta que as crises asmáticas são mais frequentes no outono e no inverno, quando os brônquios, que fazem parte do tecido pulmonar, estão mais suscetíveis a inflamações por vírus.

“Sabe-se que entre 50% e 60% das crianças não vão apresentar sintomas de asma quando adultas. Mas é importante ressaltar que a doença não tem cura e deve ser controlada”, afirma Kiertsman.

LIMPEZA E MEDICAMENTOS

Prado lembra que o controle deve começar pelo cuidado com o ambiente onde a criança vive: a casa deve ser ventilada e limpa. “A segunda etapa do tratamento é o uso de broncodilatadores. O mais usado hoje é o aerossol, conhecido como bombinha. Para crianças com menos de 8 anos, o ideal é usar o medicamento com um aparelho espaçador (tubo que conecta o aerossol à máscara), uma vez que a criança ainda não tem coordenação para inalar o remédio de maneira satisfatória”, explica o alergista.

Ele ressalta que, quando a manifestação da doença é mais grave, também são utilizados anti-inflamatórios. É o caso de Bruno Mantovani, 7 anos. Desde os 2 anos, faz tratamento com broncodilatadores, anti-alérgicos e anti-inflamatórios.

“A qualidade de vida do Bruno melhorou muito. Há algum tempo ele não sofre crise. Ele pratica exercícios físicos, joga futebol, faz natação. Mas gosta mesmo é de videogame”, conta a mãe, Bárbara.

EVITE

VENTILADOR
Evite o uso de ventiladores, que espalham a poeira. Prefira ar-condicionado, mas não deixe que a temperatura fique muito baixa.

CHEIRO FORTE
Mantenha os pequenos longe de cheiros fortes, como os de desinfetantes e de detergentes.

VASSOURA
Para limpar a casa, use panos úmidos. Vassoura, espanador e aspirador de pó espalham os ácaros.

JANELA FECHADA
Mantenha as janelas e portas abertas. O ambiente deve ser ventilado.

CIGARRO
Não fume e mantenha seu filho longe da fumaça do cigarro. Além de asma, o tabagismo é responsável por inúmeras doenças.

ROUPA DE CAMA USADA
Troque a roupa de cama da criança ao menos duas vezes por semana. Forre colchão e travesseiros com material impermeável antiácaro, que pode ser comprado em lojas especializadas.


Fonte:http://odia.terra.com.br/portal/cienciaesaude/
  04/05/2010 20:22:47

© 2010. Todos os direitos reservados ao Portal - Bairro Jardim das Oliveiras
O portal de notícias da comunidade mais completo e atualizado.
Desenvolvido por Ronaldo de Paula - Soluções web .