Menu / Materias/Documentarios

TUMULTO NA LAGOA DA ZEZA


Pânico e correria na comunidade Lagoa da Zeza, no Bairro Jardim das Oliveiras, por volta do meio-dia de ontem. O tumulto começou depois que técnicos da Companhia Energética  TUMULTO NA LAGOA DA ZEZA

Pânico e correria na comunidade Lagoa da Zeza, no Bairro Luciano Cavalcante, por volta do meio-dia de ontem. O tumulto começou depois que técnicos da Companhia Energética do Ceará (Coelce) foram até o local e realizaram o desligamento de todas as conexões clandestinas de eletricidade ligadas nas residências.

Revoltados com a situação, os moradores colocaram barricadas na Avenida Rogaciano Leite, ateando fogo em sofás, colchões e pneus. O trânsito ficou complicado e a polícia militar precisou ser acionada.

A multidão foi dispersada com tiros para o alto e disparos de balas de borracha. Ao todo, dez policiais, em três viaturas da 4ª Companhia do 5º Batalhão de Polícia Militar, estiveram no local. Homens da Força Tática de Apoio (FTA) reforçaram a operação.

Cerca de uma hora após a situação estar controlada, os moradores aproveitaram um descuido dos policiais, que abordavam um suspeito em uma motocicleta que passava pela Rogaciano Leite, e reiniciaram o protesto em outro ponto da avenida. Uma nova barricada foi montada pelos moradores. Resultado: mais correria e congestionamento de veículos, em meio a muita fumaça.

Desta vez, os policiais militares foram mais enérgicos e chegaram a entrar pelas ruelas da comunidade com as viaturas. Um morador foi detido, mas liberado em seguida com a condição de que ele retirasse os entulhos colocados na avenida. Os ânimos voltaram a se normalizar, mas a PM permaneceu no local por toda a tarde para evitar novos protestos.

Ilegalidade

Os moradores da comunidade Lagoa da Zeza reconhecem que fazem ligação clandestina de energia. O mais grave é que prometem continuar cometendo o crime após os técnicos da Coelce e a polícia saírem da área.

A dona-de-casa Maria Valderene Costa Lima afirmou que todos os moradores da Lagoa da Zeza foram pegos de surpresa pela medida da Coelce e que não é a primeira vez que o fato ocorre naquela comunidade.

“Eles cortam e a gente liga de novo”, disse. “É ilegal, eu sei. Mas não temos para onde ir e não dá para morar aqui sem energia elétrica”.

De acordo com a dona-de-casa Jane Ane Gomes Batista, os moradores da comunidade já deveriam ter sido retirados do local e levados para o Conjunto Maria Tomásia, onde as famílias seriam reassentadas.

“Já estamos todos cadastrados e sabemos até o nosso endereço, o número das casas, tudo”, revelou Maria Tomásia. “Falta só a Prefeitura de Fortaleza cumprir o que prometeu há mais de um ano e tirar a gente daqui”.

Reclamação semelhante foi feita pela também dona-de-casa Rita de Cássia Silva. “A gente faz ligação ilegal porque não tem outro jeito. A gente precisa de energia elétrica e só vamos conseguir fazendo ´gato´”.

Habitafor

A Fundação de Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza (Habitafor) informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que a transferência dos moradores da Lagoa da Zeza para o Conjunto Maria Tomásia será realizada daqui a dois meses.

Só terão direito a uma das 1.126 casas, contudo, as famílias já cadastradas previamente pela Prefeitura. As unidades do conjunto serão ocupadas por moradores de diversas áreas de risco de Fortaleza e não apenas da Lagoa da Zeza.

Filipe Palácio
Repórter


Fonte:ttp://diariodonordeste.globo.com
  23/02/2010 17:04:42

© 2010. Todos os direitos reservados ao Portal - Bairro Jardim das Oliveiras
O portal de notícias da comunidade mais completo e atualizado.
Desenvolvido por Ronaldo de Paula - Soluções web .